Brincando de deus

 

(Dreams, 1990, Akira Kurosawa)

 

Sonhar vazio

é imaginar uma aquarela

em preto e branco,

todas as cores

compondo um quadro

no qual dispersas

na tarde

as nuvens

nidificam

no horizonte.

 

Pode-se até mesmo,

em contraste

com a tênue realidade,

cristalizar-se mentiras

como se fossem

sonoras verdades.

 

Sonhar vazio

é compreender as palavras

pseudo-pulsantes

dos bichinhos de porcelana.